Homo ergaster




      O Homo ergaster cujo nome significa "Homem Trabalhador" é uma espécie de hominídeo que viveu há aproximadamente 1,8 a 1,4 milhões de anos atrás na África. Acredita-se que esta espécie seja o mais antigo ancestral do gênero Homo que teria utilizado diversos instrumentos de pedra bem elaborados e que teria dominado o fogo, pois foram encontrados indícios fósseis que sugerem a manipulação do fogo, com fogueiras de acampamentos há pelo menos 1,5 milhões de anos atrás. Foi descrito pela primeira vez em 1975 por C. Groves e V. Mazak, em análise a KNM-ER 992, uma mandíbula que foi significativamente diferente do H. erectus, merecendo sua designação de própria espécie. No entanto, a mesma não foi comparada a outras espécies como H. habilis e o espécime KNM-ER 992 mostrou sinais de uma doença periodontal, como pode ser visto pela absorção de osso ao redor das raízes dos dentes, podendo provocar deformações na mandíbula.
      A taxonomia de Homo erectus e Homo ergaster é controversa, em resumo é adotado que os primeiros Homo erectus que viveram na África seriam classificados como Homo ergaster e eles teriam evoluído no H. erectus ao sair do continente Africano. Alguns estudiosos afirmam que existem diferenças importantes entre os fósseis da Ásia e da África, sendo os os mais proeminentes a definir a diferença entre ergaster e erectus, os pesquisadores P. Andrews e B. Madeira, sendo essas diferenças identificadas no crânio, como quilhas sagital (topo do crânio) e solidez do neurocrânio (parte do crânio que cobre e protege o cérebro), a face é encontrada apenas em fósseis de H. erectus asiáticos. B. Wood enumera sete características que os H. ergaster possuíam em comum com H. sapiens e que os distinguiam de erectus, sendo elas um aumento na largura do crânio nos ossos parietais, aumento do comprimento do osso occipital, maiores ossos nasais, maior abertura nasal, redução da base do crânio, maior desenvolvimento da sínfise mandibular e dentes caninos inferiores mais estreitos. Para esses paleoantropólogos, essas evidências sugerem que as amostras da Ásia e África representam espécies distintas, sendo o nome "Homo ergaster" criado para representar os fósseis africanos, formalizando essa distinção em nível de espécie. No entanto, outros estudiosos afirmam, que muitos desses traços também são encontrados em alguns fósseis de H. erectus na África, sugerindo que toda a amostra constitui uma única espécie denominada Homo erectus.
      Uma dos mais espectaculares e importantes descobertas da paleoantropologia nos últimos anos foi o KNM-WT 15000, realizada por uma equipe de pesquisadores liderados por Richard Leakey e Walker Alan. Esta descoberta representa o hominídeo antigo mais completo já encontrado, com quase todo o crânio e o esqueleto quase completo. Este espécime foi atribuído como um H. ergaster macho, embora podendo ser enquadrado em H. erectus dependendo da análise, que deverá ser mais criteriosa, gerando talvez uma conclusão para esse dilema. Outros espécimes que foram atribuídos a H. ergaster incluem KNM-ER 3733, SK 847, e KNM-ER 3883.
      Eram bípedes e tinham um cérebro estimado entre 900 cm³ e 1100 cm³, com uma abóbada craneana mais abaulada que os Homo sapiens, uma acentuda micrognatia (mandíbula recuada) e caracteristicamente um supercílio bastante proeminente. Foram os primeiros hominídeos a deixarem a África, chegando a habitar até o Oriente Médio e o Extremo Oriente (R. Dawkins,2004).
      Os primeiros restos fossilizados foram encontrados em Swartkrans, na África do Sul, onde foi descrita a espécie. O mais completo fóssil do Homo ergaster encontrado até o momento é o "Menino de Turkana", achado no Quênia, na África, às margens do Lago Turkana e datado de 1,5 milhões de anos. Os machos mediam cerca de 1,70 metros de altura e pesavam 65 kilogramas e as fêmeas mediam cerca de 1,55 metros de altura e pesavam 50 kilogramas. A análise do esqueleto do "Menino de Turkana" mostra que esta foi a primeira espécie humana a colonizar ambientes quentes e áridos, tinham a estrutura corporal magra, com membros longos, sendo efeciente para dissipar calor (Klein R., 2002).
      O Homo ergaster se mostrou a espécie pioneira na exploração, empreendendo uma longa peregrinação para fora da África, cruzando diversos tipos de climas e se aventurando a explorar o desconhecido, desenvolvendo uma caracteristica em nossos ancestrais essencial para a sobrevivência e transmitindo-as para as gerações futuras que culminariam no Homo sapiens.
      Os pesquisadores que o vêem o Homo ergaster como uma espécie válida, o caracterizam como sendo mais parecidos com o H. sapiens moderno do que o H. erectus, concluíndo então, que os H. ergaster que permaneceram na África seriam ancestrais direto dos humanos modernos, sendo o H. erectus um beco sem saída evolutivo, que sobreviveu até ser extinto pelos Homo sapiens a 50 mil anos atrás, não contribuíndo geneticamente para o genoma humano moderno.
      Conclusões atuais levam a considerar o H. ergaster e o H. erectus como sendo uma mesma espécies, podendo talvez serem classificados como subespécies diferentes (Homo erectus ergaster), pois os achados de H. ergaster não tem demonstrado diferenças significates de H. erectus para exigir a designação de uma nova espécie de hominídeo e não foi comprovado a maior semelhança morfologica com os humanos modernos. Atualmente o H. ergaster é visto apenas como basicamente um H. erectus inicial, recém surgido na África.

Dados do Primata:
Nome: Homo ergaster
Nome científico: Homo ergaster
Época: Plesitoceno
Local onde viveu: África
Peso: Cerca de 65 kilogramas
Tamanho: 1,70 metros de altura
Alimentação: Onívora


Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Subordem: Haplorrhini
Superfamília: Hominoidea
Família: Hominidae
Subfamília: Homininae
Género: Homo
Espécie: H. ergaster, Groves & Mazak, 1975


Bibliografia consultada:
- Klein R., Edgar B., The Dawn of Human Culture (A Bold Theory on What Sparked the "Big Bang"of Human Consciousness), 2002.
- Dawkins R., The Ancestor's tale, A pilgrimage to the dawn of life, 2004.
- http://archaeologyinfo.com/homo-ergaster/
Paleoilustração:
- The American Museum of Natural History has a great exhibition hall on human evolution