Pesquise no Grupo AVPH
loading...

Os Anquilossauros


    Os Anquilossauros formam um grupo de dinossauros herbívoros da ordem Ornithischia caracterizados por possuírem armaduras ósseas corpóreas providas de grossos espinhos e um bola de fortes ossos fundidos que era usada como arma de defesa, eram quadrúpedes com membros curtos e poderosos, o que lhes auxiliava a manter a parte menos protegida que era a barriga bem próxima do solo (não mais do que 1 metro de altura do solo) sempre e dificultava serem virados de barriga para cima, expondo essa fraqueza. As armaduras corpóreas eram composta por grandes placas ósseas, que eram complementadas por placas menores e nódulos que preenchiam os espaços vazios entre grandes placas. As duas primeiras fileiras de placas formavam uma espécie de anel em torno do pescoço, o protegendo fortemente. Os crânios eram fortemente blindados com placas ósseas e espinhos.

    Este grupo de magníficos animais de características únicas surgiu durante o período Jurássico na China, como reação a linhagem evolutiva dos predadores que estavam se tornando maiores e mais violentos, esse método de defesa foi tão eficaz que seus descentes e demais parentes do grupo, persistiram em quase todos os continentes, exceto a África, até o final do período Cretáceo, sendo vencidos apenas pela gigantesca extinção em massa do final desse período.

    Os anquilossauros ostentavam um cérebro muito pequeno em proporção ao tamanho de seu corpo, perdendo apenas para os saurópodes. Suas armaduras corpóreas eram tão fantásticas que em alguns casos até as pálpebras dos olhos eram "blindadas" por uma espécie de persiana óssea. No entanto, todas essas estruturas defensivas os tornavam muito lentos, suas velocidades máximas estimadas eram de provavelmente menos de 10 km por hora. Sendo facilmente alcançados por predadores e quando isto ocorria, eles ficariam de lado para o atacante e lhes ameaçariam através de movimentos com a cauda. Estes golpes com a cauda poderiam causar enormes danos em qualquer predador, podendo ser grande ou pequeno. E o simples movimento dessas caudas intimidaria até os maiores predadores da época. Em caso de necessidade de fuga, durante a corrida eles poderia acertar pancadas com a cauda em quem os tivessem perseguindo.

    Seus dentes eram pequenos e triangulares, semelhantes aos estegossauros, bem adaptados a alimentação de vegetação rasteira (com alturas abaixo de 1 metro). Suas línguas eram flexíveis e longas, para auxiliar na obtenção dos alimentos, como indicam os grandes ossos hioides encontrados. Outro achado é um palato secundário grande lateral, que possibilitaria efetuar a respiração durante a mastigação. A região do intestino era expandida, sugerindo a utilização de fermentação para auxiliar no processo de digestão dos alimentos, através de bactérias simbióticas da flora intestinal. Sua dieta provavelmente consistia de samambaias, cicas e angiospermas.

    O grupo Ankylosauria foi descrita pela primeira vez por Henry Fairfield Osborn, em 1923. Este grupo é normalmente dividido em duas famílias: Nodosauridae (Nodossaurídeos) e Ankylosauridae (Anquilossaurídeos). Tendo as vezes um terceira família incluída, a Polacanthidae, que é mais comumente classificada como sub-grupo de uma dessas famílias principais. Um outro grupo que também é classificado como próximo de Ankylosauria é o Stegosauria (Estegossaurídeos) que também são considerados dinossauros blindados com placas e espinhos.

    A primeira definição formal de Ankylosauria como um clado foi realizada em 1997 por Carpenter, onde foi definido que o grupo incluiria todos os dinossauros que fossem mais correlacionados com os anquilossauros do que com os estegossauros. Segundo esta definição o primitivo dinossauro blindado Scelidosaurus seria um pouco mais correlacionado com os anquilossauros dos que com os estegossauros, sendo então tecnicamente um membro de Ankylosauria. Entretanto após a descoberta de Bienosaurus por Dong Zhiming em 2001, se criou a família Scelidosauridae para classificar os anquilossauros primitivos.

    Os Nodossaurídeos (Nodosauridae) são um grupo que inclui tradicionalmente Nodosaurus, Edmontonia e Sauropelta. Eles possuíam focinhos mais longos do que os anquilossaurídeos (Ankylosauridae). Não possuíam as "clavas ósseas" nas extremidades das caudas e sim enormes espinhos. Tinham ombros muito musculosos e nódulos de osso especializados em cada ombro, que serviam como um local de ligação desses músculos que sustentavam seus grandes espinhos. Estes espinhos eram suas principais armas defesa contra predadores. Eles possuíam quadris e membros grossos, eram menores e seus bicos eram mais estreitos que os anquilossaurídeos e não possuíam grandes placas ósseas nas partes superior e inferior de cada um dos lados do crânio. Em sua grande maioria viveram na América do Norte.

    Os Polacantídeos (Polacanthidae) foram nomeados por Wieland em 1911 para se referir a um grupo de anquilossauros que lhe pareciam ser intermediário entre os Nodossaurídeos e os Anquilossaurídeos. Este grupo é muitas vezes classificado como subfamília (Polacanthinae) e sugere que dinossauros como Polacanthus, Gastonia, e Mymoorapelta estariam classificados em um grupo próximo porém a parte dentro de Ankylosauria, Ankylosauridae ou Nodosauridae, representando um grupo primitivo deles.

Filogenia:


Ankylosauridae

Minmi




Liaoningosaurus



Cedarpelta



Gobisaurus



Shamosaurus

Ankylosaurinae

Tsagantegia


Zhongyuansaurus




Shanxia



Crichtonsaurus



Dyoplosaurus


Pinacosaurus mephistocephalus







Ankylosaurus



Euoplocephalus






Minotaurasaurus


Pinacosaurus




Nodocephalosaurus




Talarurus


Tianzhenosaurus




Tarchia


Saichania














Veja na tabela abaixo os animais catalogados desse grupo:

Anquilossauro
Euplocéfalo
Gastônia
Pinacossauro
Saichania

Referências:
- Carpenter, Kenneth (2004). "Redescription of Ankylosaurus magniventris Brown 1908 (Ankylosauridae) from the Upper Cretaceous of the Western Interior of North America". Canadian Journal of Earth Sciences.
- Mallon, Jordan C; David C Evans; Michael J Ryan; Jason S Anderson (2013). "Feeding height stratification among the herbivorous dinosaurs from the Dinosaur Park Formation (upper Campanian) of Alberta, Canada". BMC Ecology 13: 14. doi:10.1186/1472-6785-13-14. PMC 3637170. PMID 23557203.
- Osborn, H. F. (1923). "Two Lower Cretaceous dinosaurs of Mongolia." American Museum Novitates", 95: 1–10.
- Thompson, R. S.; Parish, J. C.; Maidment, S. C. R.; Barrett, P. M. (2012). "Phylogeny of the ankylosaurian dinosaurs (Ornithischia: Thyreophora)". Journal of Systematic Palaeontology 10 (2): 301. doi:10.1080/14772019.2011.569091.



loading...
   ® Atlas Virtual da Pré-História - AVPH.com.br | Conteúdo sob Licença Creative Commons | Política de Privacidade | Termos de Compromisso | Projeto: AVPH Produções
    Obs.: Caso encontre alguma informação incoerente contida neste site, tenha alguma dúvida ou queira alguma informação adicional é só nos mandar um e-mail. Tenha uma boa consulta !!!.